"

'Ofereço-me para cooperar com amor a fim de compartilhar a abundância de meu coração.'
'Comunico-me sem apegos e descubro a harmonia de evoluir na Terra.'

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Solamente en Brasil



12 de janeiro de 18
por Sebastião Pinheiro
(redes sociais)

Estoy entre lo anonadado y el escatológico, pues a cada minuto queda más difícil entender Brasil. Yo creía que había llegado al fondo del pozo, sin embargo continúa la queda libre, rumbo al “corran por sus vidas”.

Mostardas es una de las más antiguas ciudades del Estado de Río Grande del Sur y su nombre significa mostazas. Los pobladores primitivos trajeron de las Azores la costumbre de echar semillas de mostaza a los terrenos por la noche para distraer las brujas, que perdían la noche recorriendo sus diminutas semillitas y no asombraban el pueblerillo. Las semillas germinaban y formaban en la floración un lindo tapete amarillo que dio nombre a la ciudad, que hoy día tiene la mayor concentración de quilombolas del Estado por su inaccesibilidad y bajo valor de las tierras de restinga.

Ayer recibí una llamada del Sindicato de los Trabajadores Rurales y la foto de la placa hecha por productores de arroz, instalada para el pueblo, inconformados con la realidad de su cultivo. Ellos reclaman de la situación donde el precio del arroz producido tuvo el precio reducido en los últimos dos años a la mitad, cuando la inflación estaba cerca de dos dígitos y los insumos crecieron 20% y los combustibles más de 50%. La revuelta de los productores de arroz es mayor cuando ellos denuncian y estampan en la placa que el vendedor del herbicida declara que el mismo no funcionará, pues las malezas están “mutantes resistentes” al mismo. El concluyo de transnacionales, técnicos y burócratas del gobierno y los medios de comunicación en el agronegocios es silencio total.
Lo más raro e inaudito es que la semilla de arroz genéticamente modificado fue declarado irregularmente por las autoridades que no es OGM, cuando todos los libros publicados en España, Italia, Francia, y otros países de la UE consideran la electroporación como un método de obtención de la alteración genética anormal (descarga eléctrica). Lo interesante es que el primer ensayo hecho por la AgrEvo, subsidiaria de Hoechst, después incorporada por Bayer Cropscience fue requerida autorización como transgénicos. Después en un pase de mágica dejó de serlo y nadie pregunta por que solamente en Brasil eso ocurre, en complicidad criminosa, disfrazada de ideología mercantil.

Lo que fue afirmado en el libro “Transgénicos el fin del Génesis” hace 20 años donde consta un facsímile del contrato que jamás recibió la firma del representante del gobierno estadual, que cambiaria 9 días después. Pues, se cumple las “malezas están mutantes, resistentes a los herbicidas pero ellos continúan siendo vendidos, usados con beneplácito del gobierno, y hasta mismo reciben una placa-denuncia afirmando de los productores.

Sou previdente, mi preocupación mayor es que en el futuro tendremos una discusión muy seria: El herbicida es el factor de mutagénesis en las especies que no existían en la naturaleza, luego eses mutantes son propiedad de la empresa registrante, la dueña del herbicida.

Caso la ciencia llegué a comprobar que esas malezas mutantes contienen alguna utilidad, las empresas tienen el ejemplo del proceso contra el productor Percy Schmeisser de Canadá, condenado por nacer en sus tierras semillas que el jamás cultivó. La cuestión grave es si ocurre lo contrario: Si esas malezas mutantes vengan a producir alguna toxina peligrosa, el tratamiento no será ecuánime y el gobierno tendrá que asumir los costos como siempre ocurre en la periferia del mundo.

Yo hice la lectura sencilla de la placa de protesto de los productores de arroz y adicioné en ella elementos de la realidad que deberían espeluznar las autoridades encargadas de defender el patrimonio natural, sociedad, poblaciones tradicionales protegidas por la OMC y productores de arroz, mismo si estuviéramos en el fondo del pozo, pero eso no ocurrirá pues aún estamos en queda libre, rumbo al “Dios nos Libre”.

Imagino eses agricultores cuando supieren que el gobierno puede importar el “arroz sintético” de China para mantener los precios más bajos aún. Por acá nadie siquiera sabe lo que es el “arroz sintético”. Es por eso que construimos el Biopoder Campesino, junto al Sindicato de los Trabajadores Rurales, fundamental para reerguir Brasil.


Ilógica dos Meios de Comunicação

fonte: huffpost


10 de janeiro de 18
por Sebastião Pinheiro
(rede sociais) 

Pensei agressivamente em escrever: “O cretinismo do governo brasileiro”, fui ao dicionário Aurélio Buarque de Hollanda para embasamento etimológico, então lembrei meu querido e saudoso professor Alceu. Ele me ensinou Lógica. Na época eu gostava dessa matéria porque ela me auxiliava a entender a matemática com seus conceitos abstratos e invisíveis para um despossuído de família, amor e deus. Ele ensinou-me que, a lógica era a ferramenta mais importante para as análises éticas e morais, base do instrumental das ciências sociais. Perdemos a noção de valores sociais no convívio com as violências estruturais dos poderes econômicos, religiosos e políticos.

Com lógica podemos entender a pretensão de quebra da “Regra de Ouro” da lei que obriga respeito e fidelidade nas contas fiscais do Governo, que personagem ilegítimos e golpistas tenta desrespeitar. Sem ela há a “tabula rasa” e todos somos corruptos e desonestos.

Eu estava certo em pesquisar o significado de “cretinismo” um termo extraído de doença genético-fisiológica, mas entendido como enfermidade social (econômica, religiosa e política), por isso essa quadrilha está querendo, agora, alterar a Constituição através de uma emenda para suspender o respeito fiscal, alegando ter evitado um golpe esquerdista “a la Venezuela”. É isso que escuto todo o dia nas rádios paulistas.

Em lógica não interessa a opinião, mas a dualidade do alcance dos discursos e ações, suas metas e objetivos veiculados e finalidade a ser alcançada.

pfizer
Foi a lógica que me ensinou que o modelo de agricultura imperial com fármacos, venenos e perfumaria para combater as doenças e pragas está lastreada em lucros desmedidos (irresponsáveis) e que somente denunciando com embasamento técnico – científico é possível seguir por caminhos diametralmente oposto, alternativo ou desvio. Contudo, qualquer decisão nesse sentido passa por análise ideológica (econômica, religiosa e política) pelo que a afirmativa de “ilegitimidade” do atual governo é tão válida quanto a de “tentativa de golpe” do anterior. Ambos estão alicerçados em normas escritas interpretadas conforme interesses pessoais dentro dos círculos de poder. Seja em um “habeas corpus” de solta – prende, ou na afirmação que um presídio é “Home Office” do Crime; ou perigoso ser visitado pela presidente do STF por ter explosivo almoxarifado pelos presos.

O governo paulista está dividindo uma dose de vacina para 4 pessoas. Se vacina fosse alimento estaria mascarando a morte famélica e criando a desnutrição. É lógica, mas nada nem ninguém vem a público perguntar se a resposta imunitária diminui.

Pensar que os macacos estão morrendo há mais de dez meses de febre amarela silvestre, bem antes do Congresso Nacional aprovar a bagatela de 6 bilhões para a Campanha Eleitoral, mas não há dinheiro para fazer vacinas e retornamos a 1900 de Oswaldo Cruz. Não é cretinismo alguém ignorar isso. 

Em lógica construo minha afirmação: O Brasil é uma favela, apenas uma favela.


Não se ofenda, seja lógico, por favor vá aos livros buscar a origem desta expressão favela, além de identidade vulgar da bela Euforbiácea, (Cnidoscolus quercifolius Pohl) de lembrança histórica (religiosa - messiânica , épica - fanática, genocida – eugenista e muitas outras dualidades lógicas que pululam por aí. Enquanto isso o septuagenário, e professor universitário da área do direito aparece na TV perguntado sobre sua vida sexual responde, no nível do repórter, “que foram setes na semana”, que tem sete dias. Na há respeito sequer à investidura de mandatário que “la noblese obligé”, o que não permite espaço pela lógica e sua dualidade. 

Lembro que um dos irmãos Vilas Boas levou a um cacique Xavante as tropelias nazistas na Europa em 1942. O “selvagem” apenas respondeu: “Esta tribo não vai muito longe e purgará por suas ações”. 

Uma jovem perguntou por que não sabemos educação ambiental. A resposta é simples, porque perdemos a sabedoria “selvagem” que vai além dos conhecimentos lógicos despido de sabedoria.

Cada coração está sangrando com que dia a dia que escutamos, vemos e lemos nos meios de comunicação com ou sem lógica.

***

 

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

αGROECOLOGIω 7.0 o novo livro de Sebastião Pinheiro está pronto!


09 de janeiro de 2018
por Sebastião Pinheiro
(redes sociais)

Com um pequeno atraso devido ao duelo, o nosso novo livro está pronto - αGROECOLOGIω 7.0 - BOMBEIRO AGROECOLÓGICO (FARINHA DE ROCHAS, BIOFERTILIZANTES, BIOCHAR, AGROHOMEOPATIA, SIDEROFÓROS E ESPIRITUALIDADE) em colaboração com o geólogo Dr. Prof. Valcir Carpenedo (Agrohomeopatía).

O livro tem 500 páginas é uma atualização do livro pioneiro sobre as Farinhas de Rochas e Biofertilizantes que começou com folhas mimeografadas, depois foi ampliado em disquetes antigos escritos a partir de 1983 e finalmente publicados em parceria com o geólogo Solón Barreto (R.I.P.) que pagou sua primeira edição em papel.

Posteriormente foram mais de 7 edições para distribuição gratuita nos eventos de Agricultura (Alternativa, Biológica, Orgânica, Regenerativa, Natural, Sintropía e outros), junto a Forças Vivas e Movimentos Sociais no continente.

Gostaria muito de ter sua colaboração na análise da capa:

Ela está construída sobre a "Sagrada Geometria" do trabalho artístico de Emma Kunz, suiça que curava pacientes com o uso de farinhas de rocha (AION); acrescenta a sabedoria ancestral dos povos latino-americanos na mineralização, INIP, TEMAZCAL e OUTROS construídos sobre a Árvore da Vida (Shephirot-Druso). Nossa intenção é enaltecer a espiritualidade em valores humanos, credos, religiões e grupos étnicos para alcançar a Concordia. Faça o seu comentário, como você fizestes na capa de "Saúde do Solo versus Agronegócios" que foi construída com a opinião de todos.

Ele está pronto em português e espanhol, mas como em todos os outros, não temos os recursos necessários para suas impressões. São necessários 5 mil dólares para a informatização editorial de cada versão e mais o serviço de impressão, de modo que estamos gerenciando forças empresariais interessadas.

Muitas pessoas sabem que, em português, se dizem Muito Obrigado (Gracias), que é a forma abreviada de agradecimento formal refinado: "Me sinto muito Obrigado (endividado) de sua Gentileza e Generosidade".

Gracias, Muito Obrigado 

Antologia do livro: - Em Institutos e Universidades de países periféricos é ensinado que os agrotóxicos são essenciais e seguros para humanos e natureza, o que é escatológico e assustador.

Ulrich Beck em seu livro "A Sociedade dos Riscos para uma Modernidade" denuncia, no entanto, a realidade do mundo dia a dia é transformada em simulacros e versões nos interesses do poder.

Todas e qualquer célula viva possui um campo eletromagnético (CEM) fruto de seu metabolismo e autopoiesis. Uma semente a germinar ativa seu CEM a cada segundo e isso ocorre em cada uma de suas células.

Na evolução da vida, a molécula mais importante no transporte de energia é o ATP (Adenosina Trifosfato) que ao incorporar ou perder um átomo de Fósforo Inorgânico (Pi) libera ou consome energia que alimenta a célula e regula sua CEM em uma reação bioquímica, contudo, isso também ocorre com reações físicas, com o som de uma música agradável que altera seu campo eletromagnético e, até mesmo, a luz faz o mesmo efeito sobre as células vegetais, animais e humanas.

Toda e qualquer alteração na nossa CEM provoca impacto na saúde e degradação por ruptura do equilíbrio e harmonia na vida. Quanto mais prolongado esse equilíbrio e harmonia em um ser vivo, maior a possibilidade dele passar para seus descendentes e ficar impregnado em sua comunidade como característica indelével.

As atividades mais antigas dos seres vivos são alimentar-se, multiplicar-se e proteger-se e suas integrais conforme a energia singular da CEM dos indivíduos (família, clã, tribo, grupo étnico, etc.).

Qualquer energia que altere sua CEM e respectivo bem-estar (saúde) mas além do corpo físico ou material é prejudicial, pois também afeta a harmonia espiritual. Isso se expande da Galáxia no macrocosmos para os microrganismos no microcosmos.

Especificamente a principal energia para a vida, alimentar-se, aonde os seres vivos ultra sociais obtém seus alimentos cada vez mais  fora da natureza, na agricultura, mas ela não responde mais à harmonia e equilíbrio energético integral (euritmia) das necessidades metabólica, somente atende aos interesses do poder (mercado) em involução.

Os ultrajes da moderna Sociedade Industrial foram bem colocados por R. Steiner em sua Agricultura Biodinâmica utilizando a linguagem de Engels, na Dialética da Natureza e em Kozo Poliansky em Simbiogênese, do microcosmos da evolução das células e dos seres vivos, até o âmago espiritual, em cujo nível de consciência pode provocar transtornos, danos e necessita ser eliminado através de medos, crenças, leis e vontades de propaganda de poder e ideologia.

Governos cretinos e corruptos oficializam que os alimento estão contaminados, ignorando que é sua função mantê-los saudáveis ​​e harmoniosos com a saúde da sociedade.

O marco da Agricultura Industrial começa em 1842, enquanto todo o nitrato para a pólvora era produzido através da fermentação de estercos para seu emprego civil ou militar, o mesmo aconteceu na produção de alimentos, matérias-primas e manufaturas, mas isso vai mudar muito rapidamente pelas substâncias industriais a cada dia mais e mais sintéticas. Com tudo, meio Século depois (1893), a empresa Bayer ainda comercializava o caldo fermentado de estercos com a marca registrada de "Alinit" como biofertilizantes.

Em 1913, científicos noruegueses (Kristian Birkeland, Ostvald) inventariam o processo de compressão do N do ar, para a síntese de Nitrato de Cálcio, fertilizante industrial. O processo foi melhorado pelos alemães (sistema Fritz Haber & Bosch) já com finalidades industriais militares e o "Alinit" foi lentamente deslocado no esforço bélico alemão quando o mesmo cientista Fritz Haber, ganhador do Prêmio Nobel de Física, criou a Arma Química em 1915 que permite que os exércitos configurem a cavalgada do Apocalipse com altos lucros para o complexo industrial-militar despresando toda a abordagem do conhecimento do "Alinit" e outros biofertilizantes, harmonizadores da CEM na agricultura em geral e saúde do solo em particular.

É por isso que são ensinados nos institutos e universidades periféricas que defensivos e agroquímicos são essenciais e o termo agrotóxico é subversivo, pois ele é o disfarce das armas químicas em mãos de agricultores, suas vítimas no interesses de governos e poder por um mercado de mais de 900 bilhões de dólares/ano de meia dúzia de empresas, maiores que a economia de 170 membros da OMC.

É ingênuo acreditar que será fácil uma agricultura que os abomine, pois ela subsidia gratuitamente os custos da Guerra, antes da química e agora bioquímica e biotecnologia que são mil vezes mais caras.

veja a cara do canalha aí Fritz
Fritz Haber, além de inventar a arma química, também inventou a Metanfetamina de uso militar para encorajar os soldados a encarar a morte em combate pela economia. Simultaneamente, existe um mercado gigantesco para os alienados, viciados em narcóticos que têm um valor igual aos dos agrotóxicos, na mesma economia.

Quais são os impactos dos agrotóxicos e narcóticos na CEM humana? Os primeiros contaminam inexoravelmente os alimentos e os outros ilegais, mas de livre arbítrio, mas, determinam seus efeitos separadamente ou juntos é muito complexo. Vamos a 2 exemplos: "HCH" inventado por Faraday, ainda no século XIX e Methamidophos no Século XX.

O "HCH", chamado erroneamente de BHC é a Dimerização do Triclorofenol que produz novos isômeros, em que apenas um deles tem atividade inseticida, o isômero gama, o Lindane (Van den Linden), normalmente em quantidades inferiores a 12% de concentração. Os outros são somente agentes cancerígenos e contaminantes ambientais. A purificação de HCH com Metanol a baixa temperatura fraciona e separa sua solução, isolando o Lindane. Isso foi mantido em segredo por quase 100 anos. No entanto, todos eles por carbonização são geradores dos ultra-tóxico da Guerra do Vietnã e Seveso, Dibenzo-p-Dioxinas Clorados e Furanos.

O "Methamidophos" é mais perigoso, responsável por 85% das intoxicações e morte dos camponeses, possui um Carbono Assimétrico que permite a formação de isômeros ópticos. A incidência de luz ultravioleta durante sua síntese cria um isômero de uso militar mil vezes mais tóxico. Nas regiões ensolaradas e montanhosas, esta transformação ocorre de forma natural?

Na mídia, vemos a publicidade e a propaganda diurna sobre os insumos do agronegócio. Então, como enfrentar a ideologia mercantil-militar e seus interesses?

A resposta é fácil. As alterações da CEM nos alimentos e narcóticos modificam o metabolismo, a autopoiese e, portanto, a saúde física e mental dos indivíduos e da sociedade, logo, alteram sua espiritualidade. Acrescento que também as sementes geneticamente modificadas fazem parte do mesmo pacote que altera a CEM. Em contrapartida, o Biochar, não só evita o Efeito Estufa e as Mudanças Climáticas, mas também harmoniza a CEM na agricultura, através ao estimular a vida microbiana e os ciclos biogeoquímicos.

Para que vocês percebam a importância cidadã em mudar esta realidade: como baixar a CEM do indivíduo com tal alimentação e/ou vício ao sofrer o impacto das radiações eletromagnéticas das antenas de rádio a cada dia mais potentes; telefones celulares cada vez mais próximos de nossas casas e o uso de microondas na preparação dos alimentos dentro da casa?

Não seja ingênuo tudo isso é conhecido em detalhes inimagináveis ​​com fins militares eugênicos. Pelo que podemos afirmar que existe uma ciência medíocre,  cúmplice que corrompe e alimenta vaidades e outra ciência que não tem voz para mudar essa podridão escatológica e assustadora reptiliana que nos fazem de cobaias.

Um jovem amigo petulante me pediu para ser mais sintético em meus escritos. Recordo a ele que toda a família de F. Haber foi vítima do holocausto. Deveria eu pedir-lhe que seja mais estudioso e supere a outra ciência (de Fritz Haber)?


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...