.

.
.

"

"Comunico-me sem apegos e descubro a harmonia de evoluir na Terra". "Quando o mundo estiver unido na busca do conhecimento, e não mais lutando por dinheiro e poder, então nossa sociedade poderá enfim evoluir a um novo nível".

sábado, 30 de dezembro de 2017

Cidadania argentina




24 de dezembro de 2017
por Sebastião Pinheiro*
(rede social)


Hoje faz cinquenta anos. No dia 17 de dezembro havia deixado a Escola Técnica de Agricultura onde era um dos melhores alunos, mas não tinha meios para estudar Agronomia no Brasil, pois era tão pobre que nem minha famílias teria e já havia tido problemas com a ditadura por ter trabalhado no Depto. Comercial da Legação da República Popular da Bulgária desde os 14 anos. Isso me perseguiu e tive que mudar da Escola Técnica de São Manuel. Os riscos eram maiores. Na boa noite, às 10 horas, embarquei na Estação Ferroviária Julio Prestes de São Paulo, rumo à Universidade Nacional de La Plata, onde no dia 7 de janeiro, o curso para se ingressar começou por três meses com as seguintes matérias: Química , Física, Matemática e Biologia com um exame de cada matéria a cada mês e a obrigação de aprovar 2 para poder ingressar. Aprovei os 3 entre os dez melhores alunos e eram mais de 800 candidatos.

Lembro-me como se fosse agora, meus tios, a quem fui entregado por minha mãe, devo a oportunidade de estudar na escola pública, o que não aconteceu com meu irmão criado por minha avó em outro estado. Minha tia fez duas galinhas assadas recheadas com farinha de mandioca. Essa seria a minha comida durante os sete dias que a viagem duraria. O bilhete da Segunda Classe em um vagão de madeira antigo e sujo custou 22 cruzeiros foi para Uruguaiana na Fronteira.

Eu não tinha dinheiro para a viagem, mas durante 90 dias um agricultor descendente de japoneses, vizinho da escola que estava com a esposa grávida e ela não podia gradear em um dos tratores pediu minha ajuda. Eu jantava às 18 h na escola e ia a sua casa e subia no trator e gradeava o solo para o plantio de algodão até as 6 h da manhã todos os dias. Às vezes, quando ele estava muito cansado, eu assumia a aração e depois semeávamos juntos o amendoim, o gergelim e o ramí. Voltava para a escola e tinha de tomar três banhos para remover toda a lama e poeira do solo laterítico e ir às aulas, dormia das 12:00 às 13:30 h quando voltava a começar a aula..

Ganhei 250 cruzeiros, gastei 17 para sacar meu passaporte, o restante havia comprado de pedras semipreciosas brasileiras por recomendação de um "gambusino" amigo. As pedras que paguei 1 real cada a ele, no descaminho as revendi-as por até 800 pesos argentinos (M.N) para joalheiros. Uma mudança por 3 meses de comida com uma senhora que oferecia comida aos estudantes.

Há muitos que falam da viagem fantástica no Orient Express, de Vladivostok a Paris. Sou sincero, minha viagem foi mil vezes melhor, pois eu ia realizar um sonho, havia escolhido La Plata por ser a única Faculdade argentina onde em seu currículo havia microbiologia como matéria ensinada.

Por favor, veja o mapa. De São Paulo a Buenos Aires e depois a La Plata, parando em todas as estações, conheci uma América Latina que pouquíssimas pessoas tiveram a oportunidade de conhecer. As Araucarias no Paraná; os vales e plantações em Santa Catalina, cheio de colonos alemães e italianos, depois o Planalto no Rio Grande do Sul, finalmente a Pampa. Meu companheiro de viagem era um peão gaúcho (RS) que retornou depois de trazer gado vivo do Sul, bebemos mate até ele apear em Cacequí. A viagem acabou atravessando a fronteira em 2 de janeiro de 1968. Na madrugada tomei o Ferrocarril Gral Urquiza, todo em aço inoxidável, limpo, gente bem vestida. Já fazia dois dias que as galinhas havia acabado. Meu colega de banco era agora missionário, soldado conscrito na Marinha argentina e estudante de medicina em Mar del Plata, descendente de alemães. Ele entendeu o meu alemão melhor que o português. Talvez ele tenha percebido que eu estava faminto e me deu o lanche que sua mãe havia preparado, uma galinha como nunca mais comi na minha vida. Pela primeira vez senti um astronauta contactando a vida.

A paisagem é algo belíssimo. Correntes, Entre Ríos (El Palmar) e finalmente a Província de Buenos Aires. Ao chegar à estação Federico Lacroze o soldado levou-me ao Subte (Metro) e fomos à Estação da Constituição onde subi ao ‘carro de ferro’ para La Plata. Teria de passar a minha vida dando agradecimentos, porque planejar e executar são coisas muito diferentes.

Não quero ofender ninguém, mas eu ir foi a melhor coisa que fiz em minha vida. Lá conheci algo que poucos no meu país têm uma condição de saber: Alteridade, Altruísmo, Sentido comum, Liberdade. Vocês não sabem, mas com meus 3 anos de idade, o jogo dos meus primos de 8 e 9 era marcar a ferro como um escravo por ser "seu preto". Você pensou coisas sobre crianças. Não seja ingênuo, coisas do Brasil.

Cinquenta anos depois, se alguém me perguntasse se eu faria isso novamente. Não excitaria nem um segundo e com minhas caquexias e dores o faria sem piscar.

1968 havia sido um ano pródigo para mim. Depois se digo, como fui preso pela repressão argentina em Maio da turbulência em Paris. Eu estava na esquina vendendo meus jornais, mas eu era jovem e, como tal perigoso. Fui pego e levado para a sede da polícia nº 9 de La Plata em um ônibus com mais de 60 estudantes. Fui salvo, pois o policial sempre me pedia para emprestar a La Gaceta para ver o resultado da quiniela (loteria diária). Ele gritou com raiva que o brasileiro é meu amigo e canillita (vendedor de jornal). Ele sabia que eu era estudante. Só me libertarão às 4 da manhã, me livrei de uma briga. Um tempo antes, no 7º Regimento em La Plata, estudantes peruanos haviam sofrido o simulacro de fuzilamento como treinamento para o Departamento de Estado. No dia seguinte, cheguei com meus diários até o ponto e uma senhora ao lado do quiosque havia recorrido da mesma forma e vendeu quase todos. Fiz a devolução e eu não tive prejuízos. Argentina era uma Escola ao ar livre de Cidadania.

Quando o Macri imita Macron da França e também faz a Reforma da Previdência, como a Grécia e Portugal e uma dúzia de outros, imposto pelo Banco Mundial, OMC, etc., me fica a questão de diferentes países, mas a realidade do mundo é o envelhecimento da população mundial. Não seria mais correto mudar os índices e os valores do capitalismo mundial, sem remover o valor do trabalho?

50 anos depois, todos os políticos condenados por corrupção e roubo de dinheiro público são indultados (libertos) por Mendes/Temer em Ordalla. Ninguém pergunta: Isso foi feito para contar com a estrutura política e o fluxo de votos do curral eleitoral dos Indigentes da Cidadania?

É exercício de poder como Justiça - Advocacia Administrativa? (foto)
Vou passar o Natal sozinho, mas nunca estive só. Estou velho, mas a memória e a consciência são vigorosos estimulantes. A memória faz você rejuvenescer. Feliz Natal e muito obrigado Argentina e México, acredito que estou cumprindo a missão ordenada em La Plata.

  *Eng. Agrônomo e Florestal, Maestro, Escritor...
 
 
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...