"

'Ofereço-me para cooperar com amor a fim de compartilhar a abundância de meu coração.'
'Comunico-me sem apegos e descubro a harmonia de evoluir na Terra.'

terça-feira, 19 de abril de 2011

Aos Donos do Poder...

* medo * clareza * poder * velhice *

               ... e Código Florestal 
               O poder da ideologia tende a ser mais forte  no avanço mundializado dos povos. No caso dos brasileiros, uma cruz secular e pesada a ser carregada, com tendências reais de usurpação e opressão em um país, que ainda impera a lei da depravação política e outras vergonhas paridas pelo bocejador Congresso Nacional. Calma, tivemos avanços, estamos progredindo, siga os arquivos deste blog...

               Ver  estampado na face bojuda dos políticos, o falso patriotismo e o gozo ao elitismo é ver um Brasil sendo enganado, ao invés de educação, ser perpetuado como uma colônia de exploração. Nossos representantes são fieis crápulas do império, já que o explorado passa também a explorar sua nação, seu povo, suas raízes.

               Como é triste ver José Sarney entrar acompanhando a Presidenta Dilma na cerimônia de posse e, sermos coniventes com a sua trajetória de poder público e desgraça secular que sua família impõe no Estado do Maranhão. Não quero ser férreo ao impor minha opinião em relação à discussão do Código Florestal mais também, aliviar pra quê?

                A frase, "agronegócio, sua vida depende dele" mostra essa ideologia. Coloca a responsabilidade  das externalidades ambientais e a degradação do meio ambiente pelo manejo errado do solo – latifúndio - a todos e todas nascidos(as) em Terras brasileiras, beneficiando somente poucos senhores de heranças, e claro, sempre sobra uma farra para quem defende o sistema como lógica de desenvolvimento, agora transvestido da palavra sustentável. Sobra também para a população brasileira: o desmatamento, a degradação do solo, a contaminação dos lençóis freáticos por metais pesados, o alimento carregado de veneno, a água não mais pura com fontes cada vez mais distantes, a violência urbana, o IDH – grau de “desenvolvimento humano” baixo, o trabalho escravo (marketing negativo do agronegócio no exterior) a extinção de nossa biodiversidade, os conflitos agrários e indígenas, nossa insegurança alimentar e o mal estar social de nossa gente... 

               Já que tocaram na ferida, é hora de colocar as cartas sobre a mesa. O maior bem futuro do Brasil é sua natureza. Seus rios, cachoeiras, fauna e flora. Os biomas brasileiros são riquíssimos em sua biodiversidade: de alimentos, de espécies, por fim, de vidas. Sendo claro, nosso futuro depende da preservação dessas ricas palavras. "Amar o Brasil é fazer do Sertão a capital", como canta Vander Lee.

               O Aldo precisa mesmo tomar tapa vergonha na cara, isto sim. Conheci Marighella num documentário e me encantei com seu caráter, sua pessoa, agora, como pode o Brasil ouvir e discutir sobre ambiente vindo de Aldo Rebelo?  Um amigo, o Vinícius Antunes, em prosa, me disse certa vez que nosso código ambiental é modelo para o mundo inteiro, precisando apenas ser aplicado. Levado a sério pela justiça e pelos produtores que fincam a raiz ao solo. Onde estão os jovens militantes do PCdoB, que há a algum tempo atrás eu via discursar nos encontro de estudantes da UNESP? Na devassa com o nosso futuro ambiental, sempre quem ganha, e nesse caso deve ser o partido do PCdoB (que deve estar com bolsos esperançosos, garantindo assim, prosperidade partidária, não sei...)* como também, seus novos ou sempre foram, aliados da bancada ruralista. Quem perde? Nossas pequeninas e futuras gerações de muitas crianças.

               Se o novo Código Florestal "piorado" por Aldo Rebelo for aprovado, será a morte de um Brasil para todos e vida para um Brasil ciclópico.
Oliver Blanco
* agora sei da Arrecadação do Aldo: _acesse aqui_ 

Rolando Boldrin

Foto: por Luiz Blanco
*Na foto acima: o desmatamento seguido de queimadas. Após esta devassa, segue o plantio aéreo de capim para o gadão (a bovinocultura contribui para acelerar a ocupação de novas áreas, por conseguinte, expansão das fronteiras agrícolas. Depois do boi vem a soja).  Neste sistema  primitivo, nunnca teremos o devido respeito de nossos produtos destinados a exportação, a CARNE ou as outras commodities, ligadas ao mercado externo, derespeitando a demanda interna, que também afetará fora do Brasil. Desta maneira a Amazônia, assim como o bioma Cerrado, vai se transformando numa paisagem artificial, progressos de máquinas gigantescas cortando o solo; novas propriedades vão se estabelecendo: cede, casa pro caseiro, invernadas, áreas pro plantio agrícola, etc. A posterior, são anunciadas sua venda na TV.


Sobre o Debate em relação ao novo 
Código Florestal:


fotos via Oliver divisa de SP com PR, sudoeste do Estado sp


    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    "no artigo 5º, inciso IV da Carta da República: 'é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato'."

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...