"

'Ofereço-me para cooperar com amor a fim de compartilhar a abundância de meu coração.'
'Comunico-me sem apegos e descubro a harmonia de evoluir na Terra.'

sábado, 23 de janeiro de 2016

Bokashi

em construção...
Adubo orgânico fermentado
- fertilização da planta & nutrição do solo

_ Bocashi _
Fonte das informações: livro - El ABC de la agricultura orgánica, Jairo Restrepo Rivera e Julius Hensel. Práticas no sítio SoLar, Eng. Agr. Oliver Blanco

A palavra bocashi é do idioma japonês para o caso da elaboração de adubos orgânicos fermentado, e significa previamente cozinhar no vapor os materiais orgânicos do adubo, aproveitando o calor que é gerado com a fermentação aeróbica (com a presença de oxigênio) dos mesmo. Podemos também entender como uma pré digestão de materiais orgânicos através do calor gerado pela decomposição.


Ingredientes e seus principais efeitos e colaborações na preparação do adubo fermentado

CARVÃO VEGETAL
- condicionador biofísico do solo




Melhora as características físicas do solo (estrutura e textura) o que facilita a distribuição das raízes, a aeração, a absorção e umidade e calor (energia). O seu alto grau de porosidade beneficia a atividade macro e microbiológica da terra, ao mesmo tempo que funciona como um tipo de ‘esponja sólida’ em que possui a capacidade de reter, filtrar e liberar gradualmente nutrientes úteis as plantas, diminuindo as perdas quando, uma eventual lavagem da terra acontecer.

As partículas do carvão proporcionam boa oxigenação ao adubo, de tal maneira, a não existir limitações no processo aeróbico da fermentação; outra propriedade, é de possuir a função de regulador térmico do Sistema radicular das plantas, tornando-as mais resistentes contra baixas temperatura noturnas registradas em algumas regiões.

Finalmente, o destino da decomposição total deste material na terra é a formação de húmus. (*para maiores informações pesquisar: “terra preta indígena” – TPI)

Recomendações

O tamanho ideal da partícula de carvão, pode variar de acordo com a sua utilização, por exemplo, para substrato de formação de plântulas (em bandejas) o ideal é usar o carvão semi pulverizado ou cisco de carvão. As partículas devem ter a largura em 0,5 a 1 cm x 1,5 cm e diâmetro de 1,5 cm.

(*Leonarditas – a aplicação de uma mescla do pó de carvão de origem vegetal, leonarditas e farinha de rocha, favorece a nutrição da terra, assim como a fertilização dos cultivos pela continua ação sinérgica entre eles e os minerais que se encontram na formação do solo, ficando altamente disoníveis compostos químicos para a absorção radicular. O desbloqueio – disponibilidade – e transformção dos elementos como o fósforo, e a transformação de compostos quelatizados a base de Fe (ferro) para o aproveitamento dos cultivos, são um claro exemplo desses beneficios, principalmente em terras argilosas.

ESTERCO
- aporte nitrogenado, relação C/N




É a principal fonte de N (nitrogênio) na elaboração dos adubos orgânicos fermentados. Melhora as características vitais e nutricionais da terra e a fertilidade dos cultivos com alguns nutrientes como: P (fósforo), K (potássio), Ca (cálcio), Mg (magnésio), Fe, Mn (manganês), Zn (zinco), Cu (cobre) e B (boro), entre outros elementos. Dependendo de sua origem, inocula microrganismos e outros materiais orgânicos em maior ou menor quantidade, melhorando as condições biológicas, químicas e físicas do terreno em que se aplica o adubo.

Recomendações

Utilizar de preferência o esterco de galinhas poedeiras, principalmente de granjas que possuí bom manejo de limpeza quando está espalha resíduos vegetais secos (capim moído, casa de arroz, resto de culturas bem trituradas e outras disponíveis) no piso, na parte de baixo, disponibilizando a chamada cama de frango.

*Em alguns casos particulares, com muito conhecimento e habilidade técnica, o esterco ou a cama de frango poderá ser substituída em parte ou totalmente por: farinhas de sangue, plumas, ossos frescos triturados e restos de pescado; dependendo da situação financeira do produtor ou oferta dos materiais nas localidades.

*Urina de animais: coletar e deixar em repouso por 15 dias em recipiente escuro com uma mescla de farinha de rocha; aplicação foliar 1% e 5%.

RESÍDUO VEGETAL - Casca de arroz ou casca de café



Melhora as características físicas da terra e adubos, facilitando a aeração, a absorção de umidade, a dose ou quantidade (volume) e nutrientes. Incrementa as atividades macro e microbiológicas da terra, ao mesmo tempo que estimula o desenvolvimento uniforme e abundante do sistema radicular das plantas, assim como suas atividades simbióticas com a microbiologia da rizosfera. A longo prazo, se converte em uma fonte de húmus. A casca de arroz é também uma fonte rica de Si (silício).

Outros resíduos vegetais devem ser utilizados de acordo com a disponibilidade e proximidade da propriedade em que se elabora o adubo. Capim (napie, braquiária, e outros), bagaço de cana, resto de culturas; importante é que estejam em partículas pequenas (bem triturados) e seco. Podem ocupar até 1/3 do volume total dos ingredientes do adubo. Controlam os excessos de umidades.

*resíduos de lasca de madeira, ou pó de serra, também podem ser utilizados dependendo da procedência química de tratamento da madeira; resíduos químicos, taninos e outros, podem interferir na fermentação, e, de acordo com o equilíbrio de umidade, podem complementar o volume do adubo em que elabora.

FARELO DE ARROZ
- qualidade na fermentação, formação de complexos vitamínicos e incremento enzimático




Favorecem em alto grau e qualidade a fermentação dos adubos; estabelece boas atividades enzimáticas as quais é incrementada pela presença de vitaminas complexas. É também um aporte de N (nitrogênio) e muito rico em outros nutrientes complexos gerados quando seus carboidratos se fermentam. Os minerais são: P, K, Ca, Zn e Mg.

Outros tipos de farelos como o de trigo, soja ou milho, podem ser utilizados, mas dê preferência ao farelo de arroz pela qualidade, valendo o esforço para adquiri-lo.

MELAÇO - cana-de-açúcar
- aporte energético 




Fonte de energia para a fermentação dos adubos; favorece a multiplicação das atividades microbiológicas e é rico em K, Ca, P e Mg; micronutrientes como, B (boro), Zn (zinco), Mn (manganês), Fe (ferro) e Cu (cobre); é também possuidor do grupo vitamínico do complexo B.

LEVEDURA, TERRA VIRGEM OU MANTO FLORESTAL E BOCASHI
- aporte em microrganismos




Constituem na principal fonte de inoculação microbiológica para a elaboração dos adubos orgânicos fermentados. É considerada a semente que dará o start ou arranque na fermentação.


*Recomendações: Bocashi = semente fermentada. A cada preparo, separar um pouco como isca e utilizar na inoculação do próximo adubo.

TERRA
- distribuição homogênea da umidade




Em muitos casos ocupam até 1/3 do volume total do adubo que se deseja elaborar. Tem a função de dar maior homogeneidade física e distribuição melhor de sua umidade no adubo; com seu volume adequado, aumenta o meio propício para o desenvolvimento das atividades microbiológicas. 
          
Funciona também como uma esponja, por possuir a capacidade de reter, filtrar e liberar gradualmente os nutrientes das plantas de acordo com sua necessidade. Dependendo de sua origem e variados tipos de argila é aporte de microrganismos inoculadores e outros elementos minerais.

Recomendações

As melhores terras para a elaboração do bocashi são de origem argilosas, pois facilitam a formação de complexos silicatados e ácidos húmicos, em total afinidade com a matéria Orgânica disponibilizada no adubo. No mínimo, os adubos tipo bocashi devem possuir 30% de terra.

FARINHA DE ROCHA, CINZA E CAL AGRÍCOLA
- aporte minerais e regulação do pH




Principal função é regular a acidez que se evolui durante todo o processo de fermentação e também contribuir com outros minerais úteis.

- a medida utilizada: 25 kg de pó de rocha ou cinza para cada 1 tonelada de adubo bocashi.

Finalmente, não podemos esquecer que na medida em que o solo recupera sua composição em grande quantidade ou porcentagem de matéria orgânica, ele exercerá um efeito tampão e regulador de pH terreno cultivado.

Práxis, sítio Solar B. janeiro 2016
Eng. Agr. Oliver Blanco
& Bibliografia _ foto



Nenhum comentário:

Postar um comentário

"no artigo 5º, inciso IV da Carta da República: 'é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato'."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...