"

'Ofereço-me para cooperar com amor a fim de compartilhar a abundância de meu coração.'
'Comunico-me sem apegos e descubro a harmonia de evoluir na Terra.'

terça-feira, 21 de maio de 2013

Luta de classe e reforma agrária


O jeito é parafrasear o mestre István Meszáros* e acreditar. Acreditar em defender o continente Latino Americano. Acreditar na Reforma Agrária "utópica realista" em solos brasileiros. No mais nobre estilo Che, revolucionário, de se "costurar as veias abertas da América Latina" e curar a ferida aberta; a grande seara de Garimpo neoliberal exposta pelo crescimento canceroso do acúmulo cobiçado de Capital. Sempre acreditaremos na possibilidade de um outro mundo possível e urgentemente necessário. Portanto, "se não ajuda não atrapalha, não podemos perder o controle na batalha"... nem da Classe.

O "tarzinho" John Maynard Keynes, 'admitia abertamente que, "quanto à luta de classes como tal [...] a guerra de classes vai me encontrar do lado da burguesia educada",¹ em vez de fingir, como hoje é comum em círculos intelectuais e políticos respeitáveis, que não existe essa coisa chamada luta de classes.'

A Central babilônica aqui é do Brasil mais a desgraça terá de ser alheia aos investidores de fora. O filho que não foges da luta nem mesmo pra roubar, foi criado. Distorceram sua educação, e não será adotado pelo dólar. Nem mesmo pela máfia paulista midiática - na TV, agora, só se prende de menor, podem reparar a boca cheia dos jornalista Globais.  

A classe que defende a justiça social em nosso território, onipresente, possui raiz, possui pensadores. Mais poucos são os que difundem e conhecem suas escritas, sua luta. A "Terra em Transe", está minando por enquanto. Tem pra todo mundo. Não confundir com a Amazônia que não pertence a nenhum país do mundo. A Amazônia é um bem do Planeta, da mãe Terra, a mesma conscientização em defendê-la cabendo a humanidade, cabe-se também a união mundializada em defesa da classe oprimida. Assumir um lado é mais justo, libertador, mitigador de contradições, "inté" mesmo entre pais e filhos. Há uma urgência em caminhar, pois a luta, é infinita mais o tempo não. De "Baixio das Bestas" há de montes desviando a harmonia planetária e brasileira.

- Rema rio acima...

'Nas suas "Possibilidades econômicas de nossos netos", Keynes decretou com cândida confiança e otimismo que "o problema econômico da humanidade" estará completamente resolvido dentro de cem anos.' Entende-se agora o porque do Estado acreditar neste progresso desenvolvimentista do entra Keynes saí Keynes, entra Keynes saí Keynes, nas crises do Capitalismo? Nem eu... Mais os empresários da Avenida Paulista sempre adorarão metas.

'Muito pelo contrário apesar de todos os avanços das forças produtivas de nossa sociedade - que sob nossas atuais condições de existência são forças destrutivas ubiquamente difundidas e irresponsavelmente utilizadas -, as gritantes desigualdades que somos forçados a enfrentar com irredutível determinação para nos aproximarmos uma polegada dos objetivos desejados tornaram-se imensamente maiores e, do ponto de vista estrutural, ainda mais profundamente arraigadas do que antes. Ao mesmo tempo, os perigos futuro, ainda que não um futuro idealizado, estão hoje muito mais agravados do que nos piores sonhos de Keynes.'

A verdadeira Classe brasileira possui raiz. E não existe meta daqui a 30, 50, 100 anos para se descobrir, não há tempo. Ou defende ou se entrega... assumir uma postura será necessário, quase obrigatória. A solução pra Arca de Noé brasileira está em nossos pensadores, suas posturas, sua Classe defendida. "Não se corromper pra nós já é vitória".

'..., para resolver as desigualdades estruturais de nossa sociedade [...] é preciso de um tempo infinito. Entretanto, o problema é que a humanidade não tem uma infinidade de tempo a sua disposição, pois, na realidade, ela é forçada a enfrentar o perigo de potencial-aniquilação em razão da aparente incontrolabilidade de seu modo de reprodução sociometabólica sob o domínio do Capital.'

(- mais se interage aê com o texto: o Brasil, é um país riquíssimo na sua sociobiodiversidade humana, vegetal, de biomas; tem solo aqui pra caramba. Tantas espécies pra se pesquisar e, um exemplo real, reducionista, mascarado,  são nossas Instituições (Embrapa, Esalq, Unesp, Usp, Apta e outras...) empurrando para sociedade as mesmas pesquisas de sempre, favorecendo as empresas de capital estrangeiro: milhos transgênicos, agrotóxicos, canas, máquinas, rações, entre outras. Esses dias acompanhei uma palestra de um "Doutor" em Código Florestal, dizia ele logo de início: "que as pesquisas cientificas devem ser voltadas para o bem estar social da população". Tá bom! foi a única coisa boa que citou na palestra inteira. Isso é difícil acontecer. Desanima... e aí, é o que se vê?  

 '...já não podemos nos dar o luxo de confundir as causas fundamentais das dificuldade da humanidade com ilusória solução para elas proposta - totalmente ilusória e ao mesmo tempo altamente tendenciosa -, seja ela oferecida com uma confiança honesta e aberta, como fez Keynes, ou na forma da camuflagem ideológica enganadora frequentemente praticada em nossos dias por "neutros" defensores pseudo-objetivos da ordem existente.'

Usar dos instrumentos democráticos e seguir sobrevivendo. '...para tratar algumas de nossas dificuldades - ainda que fossem limitados, mesmo no passado - estão hoje sistematicamente abalados e destruídos pela força inexorável do Estado, em nome do interesse na perpetuação do domínio do capital, com a ajuda da conformidade ideológica e política duramente imposta.'

'É, portanto, muito importante lutar contra os esforços correntes para impor em toda parte o Estado de ideologia única, não importa o quanto ele pareça "racional" e universalmente louvável.'

Àqueles que buscam o desenvolvimento do Brasil, com falácias de crescimento, PIB, superávit, são os que fingem não ter classe, engana, auto engana-se, manipula, se vende ao dólar estrangeiro. Espertos ao contrários. São alienados esperando a "terra do nunca keynesiana" do "eterno lazer".

É importante organizar a Luta de Classe. Assumir a orientação ubiquamente em todo território nacional. Alinhar-se com as Classes também injustiçada do mundo. Em cada esquina, em cada Favela, no meio rural, dentro da Mata junto aos Índios. Criar redes de Desenvolvimento Locais - fora do FACEBOOK que é uma rede importada e perigosa. Sermos todos e todas, Paulo Freire, Darcy Ribeiro, Caio Prado Jr., Celso Furtado, Marighella, Raimundo Faoro, Milton Santos, Ana Primavesi, Joaquim Nabuco, Josué de Castro, Sergio Buarque de Holanda, Florestan Fernandes, Ruy Mauro Marine, Che... e tantos outros e outras.

Disse Luts: "O que toda burocracia persegue é sua própria sobrevivência e ampliação. A liberdade só aumenta à medida que aumenta a autossuficiência, a autonomia local, a autogestão e se descentralizam todas as formas do poder de decisão". É importante a saúde da família e, para isso, a Luta de Classe e a Reforma Agrária é discussão sine qua non. Sejamos utópicos realista sempre, pois, os cabeças de cotonetes sedentários estão todos arrendando as terras...    


O. Blanco


* I. Mészáros, 1930 - O poder da ideologia; tradução Paulo Cezar Castanheira. - São Paulo : Boitempo Editorial, 2004.
¹ J. M. Keynes, Essays in Persuasion, Nova York, Norton & Co.,1963, p. 324


Nenhum comentário:

Postar um comentário

"no artigo 5º, inciso IV da Carta da República: 'é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato'."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...