"

'Ofereço-me para cooperar com amor a fim de compartilhar a abundância de meu coração.'
'Comunico-me sem apegos e descubro a harmonia de evoluir na Terra.'

domingo, 9 de fevereiro de 2014

COCHONILHAS - sugestões de controle

Cochonilha no hibisco caseiro, família Pseudococcidae, Planococcus citri (Risso, 1813) – cochonilha branca - foto: O.Blanco


COCHONILHAS
 (Famílias: Coccidae, Diaspididae e Pseudococcidae). Margarodidae, Ortheziidae e Phylloxeridae - três famílias adicionadas não citadas no livro.

São insetos sugadores, que retiram os açúcares da seiva. O que não é aproveitado escorre sobre as folhas, abaixo da localização das colônias, atraindo formigas açucareiras que afugentam seus predadores naturais. As formas jovens e machos são móveis, enquanto as fêmeas adultas não se deslocam.

Atacam os mais diversos grupos de plantas.

A umidade é prejudicial à praga, pois facilita o desenvolvimento de fungos parasitas. O controle natural é feito por joaninhas.

Sugestões de controle:

- regar com mangueira, sob pressão, as colônias, para desalojar as formas jovens e imóveis da praga;
- pulverizar com: óleos minerais, na concentração de 1% no verão e 1,5% no inverno, podendo ira até 2% (recomendados especialmente para as espécies com revestimento de lanugem); solução de sabão*, fumo* ou sementes de mostarda*;
- para plantas caseiras e pequenos pomares de quintal: aplicar terebintina sobre os insetos localizados no tronco das frutíferas, (com uma escova macia), cuidando par anão ferir a casca da árvore com esta substância.

Família Pseudococcidae – tem o corpo sempre revestido por uma secreção cerosa, de aspecto purulento ou algodonoso. Vivem sempre em colônia. Devem ser destruídas assim que forem vistas. Podem se localizar nas raízes das plantas, sendo de difícil controle.

foto: O. Blanco
foto: O. Blanco
Sugestão de controle:

- lavar com espuma de sabão. Em época de dormência (videiras), despejar água bem quente nas raízes; retirar a casca da planta na área afetada, lavar com uma solução de água, sabão e um pouco de enxofre. Esfregar vigorosamente com uma escoava macia. Em caso de grandes infestações, pode se besuntar o caule e galhos com uma mistura de sulfato de cobre, fuligem e água;
- em frutíferas, como último recurso, pode-se usar emulsão de querosene*, correndo-se o risco de matar os predadores.

 RECEITAS ALTERNATIVAS
*Solução de sabão
Não usar amaciantes ou detergentes, pois prejudicam os tecidos das plantas.
Espuma de Sabão – para combater pulgões e cochonilhas deve usar sabão neutro e água da chuva, para se obter uma espuma espessa.
*Sabão suavizado – serve de base para várias pulverizações. É obtido através da solução comum em água e fervura. Fica gelatinosos e pode ser posteriormente diluída na consistência desejada. Deve-se usar só a quantidade necessária para bater até que se forme uma espuma espessa, para esquinchar com mangueira ou pulverizar sobre as plantas. Depois que a mistura secar, as plantas devem ser enxaguadas com água limpa.
 
*Solução de fumo
O princípio ativo inseticida é a nicotina. Quando aplicado sobre frutos e hortaliças, para controlar pulgões, cochonilhas e tripes, etc., o prazo de carências para a colheita é de 48 horas. 
Picar caules de fumo ou pedaços de fumo em corda. Colocar num recipiente, despejar água fervendo o suficiente para cobri-los e deixar repousar várias horas. Retirar o líquido marrom e diluir em 4 partes de água. Usar em pulverização. Pode-se aumentar a aderência misturando com sabão suavizado*.
Numa garrafa de 1 litro, misturar 50g de fumo em corda e pimenta malagueta, picados. Completar com água e deixar curtir por uma semana. Diluir em 10 litros de água e pulverizar.
Não usar em roseiras, pois altera a coloração da flor.

* Sementes de mostarda
Para combater cochonilhas em frutíferas, moer as sementes e usar em pulverização no início da primavera, misturando 0,5 kg de pó em 5 litros de água. Para pulverização no outono, misturar com óleo mineral.
 
*Emulsão de querosene
Este produto é mortal para qualquer tipo de inseto.
Emulsão: dissolver 400g de sabão em barra em 1 litro de água quente. Quando ferver, retirar do fogo e despejar a querosene (1-1,5 litros), sempre mexendo, até esfriar. O produto fica pastoso e deve ser filtrado antes de se colocar no pulverizador. Para combater cochonilhas, diluir em 8 partes de água; para cochonilhas em frutíferas, diluir em 5 partes de água e para pulgões, diluir em 15 partes de águas. Enxaguar as plantas com água limpa. O tratamento deve ser repetido 5 dias após.

(Pode-se substituir a querosene pelo óleo Diesel. Numa lata com água fervendo, colocar 500g de sabão de barra ralado e 300g de cinza; mexer rápido para que a espuma não derrame. Após tirar do fogo, acrescentar 0,5 litros de Diesel.) 
 


Vejam fotos das famílias e suas espécies clicando em Mais informações...
 ...pensa nuns bicho feio!

ORDEM HEMIPTERA
Família  Coccidae
 
Ceroplastes sp. – cochonilha de cera
Coccus hesperidium (Linnaeus, 1758) – Cochonilha verde
Coccus viridis (Green, 1889) – cochonilha verde
Parthenolecanium persicae (Fabricius, 1776)
Saissetia coffeae (Walker, 1852) – cochonilha parda
Saissetia oleae (Olivier, 1791) – cochonilha parda
Família Diaspididae
 
Mycetaspis personata (Comstock, 1883) -
Chrysomphalus dictyospermi (Morgan, 1889) – cabeça de prego
Chrysomphalus aonidum (Linnaeus, 1758) = Chrysomphalus ficus Ashmead, 1880 – cabeça de prego
Diaspidiotus perniciosus (Comstock, 1881)
Lepidosaphes beckii (Newman, 1869) – escama vírgula
Mycetaspis personata (Comstock, 1883)
Parlatoria ziziphi (Lucas, 1853) – cochonilha preta
Pinnaspis aspidistrae (Signoret, 1869) – cochonilha farinha
Pseudaulacaspis pentagona (Targioni Tozzetti, 1886) – cochonilha do pessegueiro
Selenaspidus articulatus (Morgan, 1889) – pardinha
Unaspis citri (Comstock, 1883) – cochonilha farinha
Família Pseudococcidae 
 
Planococcus citri (Risso, 1813) – cochonilha branca
Pseudococcus comstocki (Kuwana, 1902) – cochonilha branca
Saccharicoccus sacchari (Cockerell, 1895) – cochonilha da cana
Família Margarodidae

Eurhizococcus brasiliensis (Hempel, 1922) – pérola da terra
Icerya brasiliensis Hempel, 1900 – pulgão branco
Icerya purchasi Maskell, 1878 – pulgão branco

Família Ortheziidae
 
Insignorthezia insignis (Browne, 1887)
Praelongorthezia praelonga (Douglas, 1891)
 Família Phylloxeridae

Daktulosphaira vitifoliae (Fitch, 1856)

fontes: 
- fotos
 Coleção Didática Entomológica  & arquivos @extensionista O. Blanco
- livro
AGROPECUÁRIA SEM VENENO
Sebastião Pinheiro, Angela Aurvalle e Maria José Guazzelli

3 comentários:

martinha1945@gmail.com disse...

combate a cochonilha branca ajudou-me bastante, vou tentar aplicar na minha planta, espero não mata-la e sim a parasita. grata pelas informações preciosas.

Artur Carlos Giometti Martins disse...

Meus vasos estão cheios de um inseto que creio ser conchonilha.
Eles ficam na terra. Não os vejo nas plantas, mas se espalharam por todos os vasos. Orquídeas cujos vasos têm carvão, isopor e lascas de madeira, estão presentes. No vaso do antúrio, estão também na terra do vaso e no vaso dá azaléia também.
Cheguei a gravar um pequeno vídeo para enviar, mas nesse sítio não há como.
São como minúsculas baratinhas quase transparentes.
Como eliminá-los?

Elias Batista disse...

Cuidado com a eliminação de insetos,muitos deles podem ser benéficos, tente pesquisar sobre ele antes.

Postar um comentário

"no artigo 5º, inciso IV da Carta da República: 'é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato'."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...