"

'Ofereço-me para cooperar com amor a fim de compartilhar a abundância de meu coração.'
'Comunico-me sem apegos e descubro a harmonia de evoluir na Terra.'

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Manejo dos Solos Tropicais e Agroecologia



-->
      As técnicas agrícolas dominantes em nosso território são errôneas e acelera a degradação do solo. Muito se dissemina técnicas de preparo de solo importadas de países que possui um clima temperado onde o solo deve ser lavrado e revirado para que a matéria orgânica acumulada devido ao clima seja decomposta rapidamente.

      Somos um país de clima tropical e nossos solos são pobres em matéria orgânica. Devido ao clima quente e úmido a decomposição é acelerada. Assim, o aproveitamento pelas plantas do produto decomposto da matéria orgânica, o húmus, é pouco ou
quase nada.

     O grande desafio da Agroecologia é fazer a transição da agricultura convencional – uso de adubos químicos, agrotóxicos, preparos de solo c
om lavragem pesada – para um sistema que conserve o solo e o meio ambiente – uso de adubos verdes, cobertura vegetal e resíduos vegetais (resto de culturas), plantios de quebra-ventos, árvores, preparos mínimo do solo, policultivos, entre outras técnicas relevantes ao bom funcionamento dos ciclos biogeoquímicos, da fauna e da flora. Também é um desafio, obter alimentos saudáveis, em equilíbrio com os recursos naturais e sem a dependência de insumos externos. Ficar então, livres das sugadoras multinacionais que visam apenas o lucro e a contínua degradação ambiental, cabendo ao cidadão o consciente consumo.

     A Agroecologia é uma ciência de caráter multidisciplinar, logo, fornece os princípios básicos para o estudo e tratamento de ecossistemas produtivos ou preservadores dos recursos naturais, e que sejam culturalmente sensíveis, socialmente justos e economicamente viáveis (ALTIERI, 1987), neste caso, para o correto manejo de nossos solos, aqui entra todos os so
los brasileiros, deve se trabalhar inúmeras técnicas, todas elas integradas. O camponês e a camponesa deve estar consciente que todas são importantes no sistema. A Agroecologia exige muito trabalho, conhecimento e paciência até que se atinja um estádio de evolução para comercializar os excedentes de alimentos, assim como, as associações de produtores estarem unidas para processá-los em agroindústrias. O processo é lento. Mas no futuro, vai sorrir aquela família de produtores rurais que privilegiarem introduzir um sistema que preserve a multiplicação de bons tratos com a terra.

      Alguns conhecimentos técnicos que devem ser concretizados e construídos nas cercanias dos Assentamentos rurais são:

      • A preservação de nascente
s. É vital a conservação do recurso ÁGUA; plantar árvores nativas em sua volta e nas margens de cursos d’águas e lagos contribuirá para a preservação dos recursos hídricos, mantendo micro climas favoráveis às culturas;
• Introduzir ÁRVO
RES. Para que um sistema agrícola comece a manter o respeito ao equilíbrio com o meio ambiente, deve-se realizar o plantio de 12 a 15 árvores por hectare (10.000 m²). As árvores são seres reguladores de clima, ajudando o solo a não perder sua vida estrutural, mantendo os índices pluviométricos estáveis e bem distribuídos;
• Cobertura vegetal. Um solo tropical nunca pode ficar sem cobertura vegetal, no limbo. Pois existem no solo muitos organismos benéficos (fungos, bactérias, minhocas, etc.) que estruturam o solo, ajudam a sintetizar a matéria orgânica proveniente da matéria morta vegetal. O solo tem vida, deve ser uma esponja com macro e microporos contendo: gases (oxig
ênio, carbono) e capacidade de infiltração e armazenamento de água. Portanto, o assentado deve procurar introduzir as técnicas de plantio direto, não seria ainda a solução agroecológica, mais é o primeiro passo para não deixar o solo descoberto;
• Uso de LEGUMI
NOSAS. Leguminosas são plantas indispensáveis na Agroecologia, quanto mais elas estiverem no sistema, melhor será a vida do solo. É através delas que colocamos no solo, a adubação nitrogenada. São ricas em proteínas e açúcares fazendo com que sirvam de substratos aos microrganismos do solo, ajudando na sua estruturação e fornecendo nutrientes as plantas desejáveis. Leguminosas são plantas companheiras; no entanto, criar um banco de semente coletivo ou individual deve ser obrigação para preservá-la no sistema. Colecione sementes;
• Uso de calcário e rocha fosfatada (ROCHAGEM). São dois minerais dentro de um sistema agroecológico indispensáveis para manter a ciclagem do sistema, sem eles a mobilização dos nutrientes no solo não acontece, fazendo com que o sistema não se desenvolva ou quase pare.

      Lembramos que: nossos solos não podem permanecerem descobertos; bons tratos com a terra é condição indispensável para o crescimento de boas raízes e a conseqüência é a colheita de bons frutos, a  conservação ambiental, local este, que adquiriste para viver em família e criar filhos fortes e sadios.

      Planeje a evolução de sua terra conquistada. As informações de manejo ecológico dos solos são muitas, assim, estaremos à disposição para passá-las, podendo, no entanto, ser construídas e concretizadas em conjunto, técnicos e produtores. Somos todos agentes de mudanças e o futuro a nós pertence, basta querer agarrá-lo. Não sejamos iguais ao agro negócio, temos nossa própria ideologia em relação à natureza que nos cerca. DEUS agradece, pois ele está entre nós. Amém!
OLIVER BLANCO
Engenheiro Agrônomo
Texto publicado no Jornal "Ocupação" para a Regional do MST em Itapeva/SP em 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"no artigo 5º, inciso IV da Carta da República: 'é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato'."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...