"

'Ofereço-me para cooperar com amor a fim de compartilhar a abundância de meu coração.'
'Comunico-me sem apegos e descubro a harmonia de evoluir na Terra.'

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

"UNCTAD recomenda o fim da agricultura industrial"


"A Agricultura Ecológica é o axioma, ou melhor, é a utopia da Agricultura Industrial"

Entender a filosofia contida na epígrafe, faz um movimento. Cria-se uma mobilidade de proteção ao planeta Terra, contra as ganâncias corporativas mundiais que continuadamente, ainda, mesmo com tantas alternativas ao contrário, insistem na Guerra contra as belezas da Natureza Viva do planeta. O ser humano é parte desta alegria, desde que, deixe de ser hipócrita, lá no fundo do ego.  A nova (In)Revolução Biotecnológica mantém a ideologia da Guerra na mente humana, e põe toda vida planetária em risco de morte.

Entender a epígrafe, é atentar-se para o tipo de ser humano cujo apoio queremos estabelecer, na caminhada utópica dos movimentos - agroecológicos, orgânicos, ecológicos, etc. - rumo ao bem-estar social, integrados a teia da vida. Escolher TER ou SER, é a questão. Até que ponto, o indivíduo SER ou o indivíduo TER, dentro das metamorfoses sociais dos muitos municípios brasileiros, conseguiram levar este imbróglio competitivo? De fato, a luta continua companheiros e companheiras, sim, pela união consciente.

"A agricultura ecológica procura resgatar o equilíbrio necessário, em função dela lidar com a VIDA, sua criação. Este equilíbrio coloca ambas as partes da individualidade fora de todos os padrões, critérios e parâmetros estabelecidos pela Sociedade Industrial."*

"No Brasil, muitas vezes não se entendem certas posturas porque, claro, o problema não é tecnológico ele é antropológico, e como tal, deve ser compreendido. A agricultura natural é uma meta que será alcançada somente quando se entender que a dualidade entre o SER e o TER deverá estar unida como se fosse uma "unidade". Só então podem-se resgatar todos os valores de diferentes civilizações, sob a égide da Sociedade Industrial."**
A agricultura "moderninha" - armada até os dente com Agrotóxicos, fertilizantes, super Máquinas e sementes transgênicas - surge da Guerra. Financiadora da Guerra entre os povos, é hoje, aceleradamente, em pequenas doses letais a níveis planetários,  a causa e consequência da ânsia que faz a Mãe Terra regurgitar catástrofes ambientais. Na minha opinião, maneira como ela se defende da "praga" humana; pela pequenez humana frente a Natureza que o cerca. A quem diz, que no Brasil isso não ocorrerá... você viu o tornado de Taquarituba?

O organismo que recomenda o fim da agricultura industrial, fura o pneu do próprio carro. Não sei ao certo, mas quem sabe agora, possui emancipação ou desagregou-se do crédito e manipulação dos interesses da ideologia que o criou. Bem, ficamos com o texto do professor Caporal... 

"O Relatório de 2013 da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Meio Ambiente (UNCTAD), divulgado dia 18 de setembro, recomenda aos países ricos e pobres que tratem de fazer mudanças profundas em sua agricultura, saindo dos sistemas de monocultivos para sistemas diversificados de produção. Recomenda, ainda, que se reduza o uso de fertilizantes e outros insumos. Sugere que seja dado mais apoio aos pequenos agricultores e que se atente para articular a produção e o consumo local de alimentos. E, afirma que o atual modelo agrícola hegemônico é insustentável."***

E aí? Vai continuar remando contra a correnteza da vida! Ajudando o navio Imperialista do querer TER, TER, TER...


Para baixar o livro, clique AQUI.
Para baixar a nota, clique AQUI.

* Agricultura Ecológica e a Máfia dos Agrotóxicos no Brasil
** Idem

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"no artigo 5º, inciso IV da Carta da República: 'é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato'."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...