"

'Ofereço-me para cooperar com amor a fim de compartilhar a abundância de meu coração.'
'Comunico-me sem apegos e descubro a harmonia de evoluir na Terra.'

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

AGRICULTURA CONVENCIONAL X ORGÂNICA

Solos tropicais são gradeados, arados, revirados; altamente distribuem doses elevadas de calcário anuais, quebrando os agregados naturais; constantes adubações solúveis ano a ano; aplicações desnecessárias de Agrotóxicos, muito acima do recomendado, sem limites e respeito ao meio ambiente e ao seres humanos.  A foto de baixo é a horta orgânica do bairro Demétria em Botucatu, SP.   

Os defensores da agricultura convencional, que é a química, estão absolutamente convencidos de que o mundo iria morrer de fome se não houver a adubação química e os defensivos que protegem as culturas de parasitas, especialmente insetos e fungos. Os da agricultura orgânica estão igualmente convencidos de que sem matéria orgânica não há produção saudável. Antigamente, a agricultura era a base de toda economia e, no Brasil, foi a cultura do café que pagou a industrialização. Atualmente, o agrobusiness contribui diretamente com 45% da economia nacional, enquanto as indústrias química, metalúrgica, automobilística e eletrônica, de que se falam tanto, contribuem somente com 21% do PIB nacional, sem considerar o efeito direto e indireto da agricultura sobre a economia, especialmente a alimentação da população.

Admitido que o ‘agronegócio’ trabalhe com tecnologia supermoderna, com transplante de embriões em animais e plantas transgênicas especialmente resistentes a herbicidas, proporcionando lucros maiores. Mas nosso planeta está secando, e nossos solos estão se desertificando. A população está cada vez menos saudável.

Os defensores da agricultura orgânica não pretendem voltar à agricultura tradicional, embora ela apresente, especialmente nos Andes, uma sincronização perfeita entre solo, plantas, homens e religião, trabalhando sabiamente com todos estes fatores e alcançando colheitas elevadas, saborosas e nutritivas sem destruir os solos e os recursos de água. Quem tem razão? A agricultura existe somente para contribuir com os lucros ou para alimentar a população hoje, amanhã, sempre, quer dizer, de maneira sustentável.

Para terminar com toda discussão os estudantes da Esalq, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, em Piracicaba, SP, realizaram um encontro entre os exponentes das duas correntes.

- Podemos produzir mais e melhor com adubos químicos. A matéria orgânica é somente adubo químico em forma orgânica e, portanto, mais diluída, menos eficiente e mais cara para transportar e aplicar.

- Não podem produzir sem matéria orgânica porque é um condicionador do solo. E sem agregados e poros não entram água e ar no solo.

- Podemos irrigar. E quer ver um café adubado e irrigado como produz? E mostraram fotografias.

- Mas com um trato orgânico adequado, as raízes se desenvolvem melhor, exploram um volume maior de solo, recebendo mais água e mais nutrientes, portanto são mais bem nutridas. A selva tropical neste sistema produz em solos paupérrimos cinco vezes mais biomassa por ano e hectare que uma floresta de clima temperado. As plantas estão bem nutridas, apesar dos solos pobres. Portanto, somente precisamos um trato adequado do solo.

- E se as plantas ficam doentes, atacadas por insetos e fungos, vocês não usam defensivos químicos?
- Plantas somente são atacadas quando faltar algum nutriente. Porque plantas não necessitam somente de três ou sete elementos, mas de 45. Às vezes um traço ínfimo de um elemento é a diferença entre saúde e doença. E com raízes profundas e profusas, recebem o que necessitam.

- E se a fome ameaçar grande parte da população?
- A fome veio com os adubos, defensivos e herbicidas, que expulsaram os trabalhadores e pequenos agricultores do campo. Antes desta agricultura química-mecânica, o Brasil se orgulhava de não ter nenhuma pessoa faminta em seu território.

- E se vocês tiverem nematoides, o que fazem?
- Plantamos leguminosas que os controlam. E, além disso, nematoides somente prejudicam plantas fracas. - Mostraram as raízes de um cana-de-açúcar com bilhões de galhas de nematoides e que era a melhor cana da fazenda.

Os “convencionais” não se deram por vencidos.
- E se houver oito toneladas de nematoides por hectare?
A face de um pesquisador veterano se iluminou.

- Quanta matéria orgânica! – exclamou.
A risada foi dos que concordavam com ele.
- Ademais, eles prejudicam somente raízes deficientes em fósforo e boro. Coloquem uns quilos de boro, e as raízes suportam bem até oito toneladas de nematoides.

- E as colheitas recordes do agrobusiness, vocês não consideram esse lucro fantástico?
- E como as consideramos! Porém essas colheitas somente são sustentáveis por um curto prazo de tempo. Destroem os solos, fazem os rios secar e a água potável diminuir, quebram os ciclos naturais e usam plantas geneticamente engenheiradas, das quais ninguém sabe ainda a consequência sobre a natureza e, especialmente, a formação de proteínas e outras substâncias, até estranhas para as plantas, e seu efeito sobre a saúde humana. O transplante de genes ainda não está muito esmerado, está em desenvolvimento, e com certeza tem grande futuro.  Atualmente ainda arrancam cerca de 8% dos cromossomos de uma planta (e cada par de cromossomos pode ter milhares e milhões de genes) e implantam em seu lugar frações de cromossomos de outras plantas e micróbios, como, por exemplo, de Agrobacter na soja, para torná-la resistente ao Roundup. Mas para conseguir um indivíduo que preste, eles fazem milhares de injeções de pedaços de cromossomos e ainda não sabem o que está por vir desta “variedade transgênica”, porque ela recebeu muitos genes e não somente um, e pode, pouco a pouco, mostrar aberrações e plantas monstruosas. E mesmo que essas variedades sejam definitivas, não se enquadram em ciclo natural algum, quebrando os ciclos. Além disso, embora não seja muito, 4,5% da soja transgênica fracassou. Por quê, ninguém sabe.

Produção de soja orgânica - dona Belena - Tarumã, SP.  Quebrando o mito do pacote tecnológico. Produzindo qualidade biológica remineralizada e não quantidades transgênicas e de baixo teor nutricional. 

- Mas a agricultura orgânica produz pouco.
- Sim, quando não é ecológica. Mas quando for conduzida por critérios ecológicos, produz mais do que a convencional.

- E o que é ecológico?
- Por exemplo, não enterrar a matéria orgânica ou o composto mas deixá-lo na superfície como faz a natureza. Nesse caso, a matéria orgânica fica no horizonte A0 e A1.

- Mas com NPK se produz muito mais.

- Talvez por uns poucos anos e isso, nem sempre. Até se esgotarem os outros elementos nos solos. E se vocês consideram o rastro de destruição que se segue aos agricultores que saíram do Rio Grande do Sul para o Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Tocantins e Maranhão, acabando com os melhores solos, então não se pode esperar que nossos descendentes ainda tenham de onde tirar sua alimentação. Temos o direito de gerar filhos e deixar que herdem um mundo destruído? De capital financeiro ninguém vive. Vivemos de alimentos e de água doce.

Ana Primavesi
Pergunte ao Solo e às Raízes - Uma análise do solo tropical e mais de 70 casos resolvidos pela agroecologia




Nenhum comentário:

Postar um comentário

"no artigo 5º, inciso IV da Carta da República: 'é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato'."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...