"

'Ofereço-me para cooperar com amor a fim de compartilhar a abundância de meu coração.'
'Comunico-me sem apegos e descubro a harmonia de evoluir na Terra.'

sábado, 19 de novembro de 2016

O Coração Etérico ...


A formação do Novo Órgão Etérico do Coração à Luz da Cultura de Mistérios Michaélica do presente como Rudolf Steiner requer para a nossa Era em suas Palestras
“A Missão de Michael e a Revelação dos Mistérios do Ser do Homem”

“Die Sendung Michaels und Die Offenbarung der eigentlichen
Geheimnisse des Menschenwesens”

Ruth Haertl, Michaelmas 2000

Tradução Português Sonia Homrich

Este ensaio concernente ao coração Etérico toca o mais profundo dos mistérios do ser humano. Atinge os processos individuais da vida humana e suas mudanças evolucionárias que afetam toda a humanidade. O conhecimento destas mudanças é significante para nós quando queremos expandir as nossas habilidades para a cognição do Carma.

Iniciamos com o breve sumário do desenvolvimento do órgão Etérico do coração. Rudolf Steiner descreveu o processo em grandes detalhes falando sobre a formação do órgão etérico do coração das crianças.

Antes do nascimento as forças etéricas são “trazidas”, “atraídas” e unem-se para criar um corpo individual etérico. As forças etéricas mantêm em si substâncias que são tiradas de todo o cosmos.

Desenhando um coração etérico Rudolf Steiner nos mostra a periferia das estrelas, o coração entre o sol e a lua, enquanto abaixo a terra é indicada. “É importante compreender que quando descendendo ao mundo da terra nós trazemos em nós a imagem do cosmos”. Esta primeira configuração do coração etérico de Rudolf Steiner tem um aspecto provisional ou hereditário. Permanece com a criança até a perda dos dentes de leite. Em torno dos 7 anos decai. Rudolf Steiner diz com estas palavras “ele decai”. É rejeitado exatamente como os dentes são descartados na idade dos 7 anos. As maravilhosas configurações cósmicas das imagens estelares esvaem-se mais e mais à aproximação do aniversário dos 7 anos. Isto ocorre à época quando o próprio corpo etérico da criança nasce.

Raios de configuração do éter iniciam uma nova forma e se esforçam da periferia ao centro. Ali acumulam em torno do coração físico e como crescem juntos, um segundo coração etérico nasce. É o órgão etérico individualizado do jovem que cresce e amadurece na idade dos 7 aos 14 anos.

Isto ocorre através de um processo onde passo a passo o novo coração etérico repõe tudo que morre do coração hereditário. O novo coração é condensado da esfera do mundo integral (como um todo).

Em outra passagem das palestras de Steiner, lemos que na puberdade o corpo astral é reestruturado numa nova configuração. Na mesma área do corpo na qual o segundo coração Etérico foi formado como um reflexo das estrelas, sol e lua, as forças do corpo astral estabelecem um órgão central adicional. Estes dois órgãos tecem interna e externamente de si mesmos, como um órgão central único, e dentro deste são inscritas todas as ações, todas as motivações morais, as intenções humanas e as idéias.

Em uma de suas palestras Rudolf Steiner fala de uma caixa pequena na qual tudo que é concernente à nossa vida é gravado. Como estudantes no caminho de iniciação nós damos gradualmente um significado, tornando-nos aptos a ler e interpretar nossas ações cármicas do passado, nós assumimos crescer em direção ao entendimento, à compreensão de tudo que está inscrito no coração etérico. Foi no dia 27 de Fevereiro de 1925 em seu 63° aniversário que Rudolf Steiner deu à Dra. Ita Wegman a meditação relacionada ao tema, que se segue:

“Corações interpretam o Carma
Quando corações aprendem a ler
A Palavra,
Que cria na Vida Humana;
Quando corações aprendem a
Falar a Palavra
Que cria no

Ser Humano”




Nenhum comentário:

Postar um comentário

"no artigo 5º, inciso IV da Carta da República: 'é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato'."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...