"

'Ofereço-me para cooperar com amor a fim de compartilhar a abundância de meu coração.'
'Comunico-me sem apegos e descubro a harmonia de evoluir na Terra.'

quinta-feira, 5 de maio de 2011

TREMOÇO

    
     Originário da Península Balcânica, o Tremoço (Lupinus albus L.) é muito cultivado em lugares onde o solo é arenoso e ácido, assim, encontra-se a  planta na região mediterrânea, centro e sudeste da Europa, Rússia, norte da África, África do Sul, Austrália e América do Sul.

     O Tremoço é uma alternativa para uma rápida cobertura do solo, após 49 dias de seu plantio, 53% da área plantada é coberta e a 79 dias de seu plantio, 85% da área possui proteção vegetal (comunicado técnico Embrapa). Sendo uma Leguminosa, portanto uma fabácea, o tremoceiro fixa o nitrogênio atmosférico ao solo pelas suas raízes, fazendo com que solos arenosos, um “areião” danado, regenerem ou iniciem o seu importante horizonte A, a matéria orgânica, dando vida à ciclagem de seus macronutrientes.

     Sua semente, amarelinha, é muito consumida em Portugal e no Brasil como petisco ou aperitivo (acepipe) dando uns goles numa cerveja “bem ghelaaada” como diz os cuiabanos. Diz-se da origem de seu consumo que surgiu no Egito. O consumo in natura não é aconselhado, pois a semente possui suas defesas e contém aminoácidos neurotóxicos. Dizem que é excelente para diminuir o diabetes.

     Acompanhei o desenvolvimento de sua cultura numa seara plantada no município de Itaberá/SP (Assentamento Pirutuba II, Agrovila 5, espaço da Regional do MST) pela nossa equipe de técnicos (Diego, André, Eder, Robinson...) e planejada por alunos do Instituto Técnico de Ensino e Pesquisa Laudenor de Souza. O plantio foi a lanço e realizado por uma distribuidora de calcário cujo consórcio da oleaginosa (nabo forrageiro), gramínea (aveia branca) e leguminosa (tremoço) foi enriquecedor ao solo e aos nossos olhos.

      Aqui a gente conta a história e mostra as fotos. Lembrando que as fotos podem ser compiladas e levadas a utilização para o bem da humanidade e dos solos arenosos, a todos os rincões deste mundão.
Oliver Blanco
as sementes

mistura
plantio
o tratorista Robinson

após a distribuição

começo da germinação
plântula Tremoço germinando
a plântula

Plântulas: de tremoço, nabo forrageiro e de aveia














planta com orvalho

de manhã

tremoço

mantendo o solo com boa umidade

proteção do solo


bem próximo

Diego dando uma conferida

boa massa verde
vagens
André e Eder

altura

solo totalmente coberto

boa cobertura vegetal

raíz fixadora de nitrogênio

algumas falhas

varetas do tremoço

planta adulta


tremoço sobreçaindo

a cultura

raíz com nódulos róseos indicando a atividade fixadora

detalhe dos pecíolos

flor

a aveia e o nabo forrageiro completam a cobertura do solo mais a baixo das folhas do tremoço, logo, também participam da ciclagem de nutrientes





3 comentários:

Anônimo disse...

Excelente!Minha famiçlia é portuguesa e de uma brincadeira onde todos nós não sabíamos a origem dos tremoços, deu-se nessa excelente cultura em São Paulo.
Parabéns!!

Juliana Moretto disse...

Olá! Muito legal essa adubação verde! Plantei em linha uma vez o tremoço no início de Junho.
Não cresceu muito e veio muito mato também que acabei controlando.
Esse ano pensei em plantar a lanço após o milho safrinha com aveia ou nabo junto, porém não creio que vá dar tempo , pois plantei o milho (precoce) em 21/02, devo começar a colher pra grão no final de Junho apenas, ele deve crescer menos ainda então que ano passado plantado assim tão tarde... Esse ano os plantios de verão e de safrinha acabaram atrasados pela falta de chuva... :(

Vocês lembram quando plantaram esse tremoço? será que foi em Maio mesmo na época do post? Aqui minha região é no centro do estado de SP, região tropical, Botucatu-SP
Itaberá é menos quente será?

Abraços!

Anônimo disse...

Ola sou de Portugal e chamo-me Florbela Maciel e também cultivo tremoços. Gostei de ver a vossa plantação . mas gostava de saber se e possível fazer a colheita com algum tipo de maquinaria. flormmm@hotmail.com

Postar um comentário

"no artigo 5º, inciso IV da Carta da República: 'é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato'."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...